Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Filipa entrevista

Janeiro 29, 2016

Filipa

 

Lembram-se dA entrevista?

Um sucesso, só vos digo.

 

Chegam emails de todo os cantos do mundo, desde os mais escuros e feios até aos mais alvos e puros, com pedidos de entrevistas, alguns chegam inclusive a apelarem-me ao coração, coisa que infelizmente não tenho, para que Filipa entreviste, Filipa pergunte, Filipa incise a vossa essência, Filipa enflore a vossa existência, Filipa estenda o manto vermelho da vossa vontade, Filipa fartinha de ouvir as vossas merdas, anui e cá temos a primeira entrevista. Em grande, como a primeira blogger escolhida, a Picante, se é que me entendem.

Filipa, doravante Filipa, será a entrevistadora e Picante, doravante Picante, será a entrevistada.

 

Filipa, a entrevistadora, pessoa afável e de bons fígados, começa por ajeitar os caracóis e simpaticamente pergunta 

 

Picante, feminista assumida e militante, diz-me, se tivesses que mandar um/a bloger à merda, quem escolhias?

 

Caramba, Filipa, isso assim de rajada até se me dão os nervos, toda a gente sabe que eu sou pela paz e pelo amor, estou aqui nos blogs só pela diversão, não tenho quaisquer carências efectivas.

À merda? Céus!...

 

Picante, seu coraçãozinho satânico, fala-me dos teus amores da blogoesfera.

 

O Pipoco, claro. Gosto muito quando ele escreve aqueles posts para a classe C inferior, curam qualquer insónia.
Brincadeirinha que eu até voltei a gostar de o ler mas amar, assim de coração, é mesmo os blogs que me fazem rir, aqueles que me põem a abanar a cabeça (não tenho barba para cofiar e nem precisei de ir à Dora) e pensar "mas estas gajas existem mesmo ou têm um enorme sentido de humor? "... Chego sempre à conclusão que afinal existem e isso diverte-me.
Num patamar ligeiramente superior tenho uma relação monogâmica com as minhas blogo-BFF, com o Xilre e com o Outro Ente.
 
Sinto-te agastada. Deita-te aí no divã e diz-me, o que ainda te surpreende?
 
Oh! Tanta coisa... Por exemplo, surpreende-me que a Maçã ganhe dinheiro a vender aquelas botas inenarráveis.
Também me surpreende que aquele negócio dos barretes mitra da Ursa não tenha dado em nada, uns barretes tão bonitos...
E claro, continua a surpreender-me como os pais das baby bloggers não põem um basta naquilo, faz-me um bocado de confusão as mães porem as filhas numa montra, qual carne no talho, e os pais a aplaudir, mas as coisas são como são.
Outra coisa que me surpreende são adultos que levam os blogs tão a sério ao ponto de ficarem anos a fio a remoer as mesmas coisas. Parecem uns discos rachados e eu acho  sempre surpreendente como é que não se cansam deles próprios.
 
Diz-me, surpreendida Picante, o que tens a dizer acerca da vaga de bloggers chatas como a merda que agora pululam por aí feitas papoilas doidas?
 
Hum? Não sei do que falas mas olha, eu nunca achei grande graça a papagaios, aquilo tem piada uma ou duas vezes, a questão é que não se calam, uma pessoa a querer sossego e eles aos gritos, a cassete é sempre a mesma, uma canseira portanto.
 
Gulosa Picante, gostas de cereais? Diz-nos as tuas preferências.
 
Ahahahahah
Disseste cereais?
Ahahahahahah
Directamente do pacote?
Ahahahahahah
Olha, não gosto, acho sensaborões e nunca o produto corresponde à imagem exterior, além de que metade da embalagem é ar.
(Toda a gente sabe que os cereais de pequeno almoço estão cheios de açúcar, aquilo faz engordar rabos e ancas, não como essas porcarias, prefiro pão com marmelada caseira feita pela minha dona Maria)
 
Picante, uma palavra aos teus leitores?
 
A Pipas é uma orca gorda?...
Pronto... Pronto... Agora a sério, eu não tenho leitores, o meu blog está tremendamente moribundo, já lhe andam a anunciar a morte há que tempos, o tipo é que é teimoso e tem vontade própria, vai-se a ver e é do contra, tipo as feministas histéricas e ressabiadas (sempre quis usar "tipo" numa frase).
Pronto... Pronto... Agora mesmo a sério, meia dúzia de palavras aos meus leitores?... Isto são só blogs, é não levar a coisa demasiado a sério, nos blogs e na vida a coisa é mais fácil se for levada a rir.
Ah!..  Já me esquecia, não há necessidade de fazer ameaças derivado de não gostarem do que lêem, assim como assim não surtem qualquer efeito, é patético ver gente a gastar energias em vão, fico sempre um bocado confrangida, além de que, em o público sabendo dessas ameaças, a imagem de pessoa moralmente idónea vai com os porcos. É uma pena, aquilo deve ter dado um trabalhão a construir.
 
(Queria agradecer à Pipas estes 5 minutos de fama e assegurar às outras, que nunca me deram a honra de uma entrevista, que a Pipas sempre foi a minha preferida)
 
 
Filipa, que foi a Filipa entrevistadora nesta entrevista, agradece a colaboração de Picante no papel de Picante, a entrevistada.
 
 

Bastaram-me dez minutos do primeiro episódio da nova temporada dos Ficheiros Secretos

Janeiro 27, 2016

Filipa

 

Para continuar sem perceber duas ou três coisas:

 

i) porque é que chamam actriz à Dana Scully?

ii) porque é que parte do sucesso da série se deve à mesma?

iii) aquela cara de nojo que ela apresenta sempre, quer esteja a olhar para o David, para uma flor, para um ET ou até mesmo para uma criança, faz parte do papel?

iv) desenvolveu competências nos entretantos? A gaja opera, a gaja é agente do FBI, a gaja faz autópsias, ainda a hei-de ver a corrigir erros de uma centralina, a arranjar uns estores caídos ou até mesmo a caiar a casa de campo.

v) por duas ou três vezes a vi salpicada de sangue na zona do pescoço. Calhando, deviam cagar nos ET´s e prestar mais atenção ao que a Drª anda a fazer quando agarra no bisturi. Tenho cá para mim que se aquela sala de operações falasse...

 

e a confirmar uma:

 

I) nunca gostei desta merda, não ia ser por causa deste alarido todo à volta do regresso da série que ia mudar de opinião.

 

 

Candidato a "Comentário do mês" #2

Janeiro 26, 2016

Filipa

 

Este veio do PID, que infelizmente não tem blog. Ou felizmente que assim não tem que levar com gajas aos suspiros e outras merdas do género:

 

"Uma das maneiras de mudar costumes é através do humor. Coisas ridículas como xenofobia, misogenia, racismo, merecem ser ridicularizadas, através de ironia ou sarcasmo. As pessoas acabam por perceber o quão ridículas estão a ser, e acabam por mudar. 
Claro que existe gente demasiado burra ou tacanha para perceber o alcance uma boa piada, e esses sentir-se-ão atacados na sua sensibilidade, mas não ridicularizados. Esses são de ideias fixas, não vão mudar. 
Agora dirão que, por isso mesmo, o humor não é uma arma eficaz. Pois, mas para essas pessoas, a educação também não serve, pois os burros não conseguem aprender, e os tacanhos não querem aprender. Para esses casos, há que confiar em Darwin, e esperar que a selecção natural os extinga.
A doutrinação, baseada em longos artigos opinativos e estatísticas questionáveis, pode mudar umas quantas mentes, mas não cria pessoas mais inteligentes ou informadas. Apenas coloca alienados do nosso lado da barricada. Porque em alguns assuntos, é disso mesmo que se trata, arregimentar um exército de acéfalos para a nossa causa. Até porque é sabido que os soldados querem-se ignorantes, não vão eles perceber que estão prestes a morrer por uma causa que não é sua.
Qual era o assunto, mesmo?"

 

Candidato a "Comentário do mês" #1

Janeiro 25, 2016

Filipa

 

Mais uma semana, mais uma rubrica, eu avisei que isto ia ser sempre a abrir.

A regra é simples: escolho uma série de comentários que ao longo do mês e por algum motivo me tenham enchido as medidas e no final elejo um. Como vêem, tudo muito imparcial, democrático e justo.

Vamos lá começar antes que se faça tarde.

 

Primeiro candidato a comentário do mês, vem da Isa:

 

"Tanto para dizer e tão pouca paciência para o fazer, mas vou tentar:
Primeiro, esse tipo de post-choradinho, em que ai, que me farto de apanhar tau-tau por expor as minhas ideias e defender os meus ideais, como é que faço então, se só sei fazer assim. Pá, faça como sabe fazer e deixe-se lá de vitimizações camufladas, formalizadas em posts supostamente moralistas sobre como então se discutir os tais assuntos que incomodam. Se incomodam, claro que a reacção expectável dos incomodados é continuarem a não querer tirar a cabeça do cu- onde a têm faz tempo justamente porque lhes é mais cómodo - e há que contar com isso. Óbvio que o blog é do queixoso/a, e lá lavrará o que quiser, mas é uma postura irritante. Penso sempre que quem passou, os que viveram e vivem situações que dão azo a causas dessas, não tiveram nem têm disponibilidade emocional pra esse tipo de "ai que dói".
Se é pra defender, então ponham-se às suas alturas.  

Depois, praquê justificações sobre o que a tal Filipa assume do que lê - e que está no seu direito e tal e etc - mas que não corresponde ao que escreves, e se isso pode qualquer um verificar, independentemente do que nutre pela tua pessoa? 
Ora, se a tal Filipa, porque carrega a bandeira do feminismo, e se, por sei lá que razão, resolve por-te ao peito o que os nazis punham aos judeus, pá, à merda com a Filipa. Falta de ética tem quem não sabe separar o joio do trigo, e nem é por ser burro, é mesmo por ser faccioso. 
Também não gosto de mulheres. Somo execráveis umas para as outras. No entanto, também fabricamos milagres todo o santo dia, para o Mundo. Confio em muito poucas - by the way, muchas gracias, Filipa - mas nem às mais putas de alma que conheço, deixo de lhes reconhecer os direitos que quero para mim, enquanto elemento feminino. Têm-no, temos, e com retroactivos. 
A comparação com o Pipoco, é só uma tentativa de destaque (conseguido), numa caixa de comentários, e o teu nome não foi referido, talvez por receio de retaliação.  
Sabemos perfeitamente ser o Pipoco nesse aspecto - e noutros - bem menos frontal, pessoalmente acho que as provocações do mané se perdem em pedantismo, mas é preciso ser-se absolutamente desprovido, quanto a mim, de um mínimo que seja de imparcialidade, para não se perceber isso mesmo. 

Ps: A piada do Gervais/Jenner, metida naquele contexto? Really??
E a Luna ainda não sabe o que pensar disso...?




Dasssssssssssse!"

 

Ando-me aqui a debater com uma problemática

Janeiro 25, 2016

Filipa

 

 

e não tem a ver com:

 

- adultos que vestem leggings da zara (?)

- adultos que vestem leggings da zara, secção criança (?)

- adultos com aspecto sujo que publicitam skip (?)

- as parvas de merda do costume com as paneleirices do costume e para as quais já ninguém tem cu.

 

 

A minha Rita, a chinchila que viu a vidinha dela a andar para trás, quando faz os seus cagalhanitos de 3cm cada, faz duas coisas:

ou os come ou os manda gaiola fora. Agarra-os com as suas mãozinhas fofas e lança-os por entre as grades da gaiola. Os ditos vão cair ao lado da cama de doce Chanel que com aquela bocarra de lobo mau, quase que nem os deixa poisar no chão que até fica a brilhar. Ora, isto para quem -eu- gasta para cima de um balúrdio por saca de ração, porque é a melhor, porque tem salmão dos mares atlânticos mais profundos, búfalo do caralho mais velho, a cenoura baby mais baby do mundo e o brócolo aspergido com a água mais pura de todas, anda-me aqui a transtornar e já não sei o que hei-de fazer aos cagalhões da chinchila que por acaso, mas só por acaso, o Zé não aprecia, estamos portanto perante alguma carência efectiva da bicha e eu não consigo alcançar qual, vejamos: não tem filhos que lhe tirem noites de sono nem um marido com incapacidades graves que o impeçam de executar tarefas complexas como seja o caso de baixar o tampo da sanita depois de coiso, não tem que fazer almoços nem jantares, arranjar mochilas nem passar a ferro. Pode dormir o dia inteiro ou, em alternativa, passá-lo a apanhar banhos de sol. Período, duas vezes por ano. Tem um namorado cagão que com uma rosnadela dela se mija todo. Sinceramente, não percebo tanta carência.

Portanto, andar de mini aspirador em punho o dia inteiro está fora de questão, embrulhar a gaiola -que só mede para cima de metro e meio- em fita cola daquela grossa, para que os poios ficassem lá colados também não resultou. Quando fui ver tinha a gaiola envolta em pêlo de chinchila e as gajas praticamente nuas. O homem ainda está lixado comigo por causa da série de merda que o obriguei a ver e já avisou que tem mais que fazer do que aturar as minhas cenas, que é para eu deixar os bichos sossegados que eles lá se entendem. Como se comer merda lá fosse algum tipo de entendimento.

 

Percebem que tenho vida além blog e por isso nem sempre consigo comentar a actualidade? Há coisas urgentes que eu tenho que resolver e esta é só uma delas.

 

A outra é a Luísa e a mão que insiste em meter na fralda depois de fazer o number two.

 

Hoje deu-me para isto #1

Janeiro 23, 2016

Filipa

 

Decidi que este ano vai ser o ano dA rubrica.

Dá trabalho enquadrar tudo o que tenho a dizer, o leitor não gosta de textos longos e enfadonhos, eu não tenho paciência para andar à roda do que efectivamente quero dizer, olhem, junto assim a fome com a vontade de comer e inauguro hoje, dia em que a bloga está flat, esta rubrica que me toca especialmente ao coração.

 

 

A Filipa, chamemos-lhe assim, escreveu isto, na caixa de comentários de um blog, claro, deus nos livre de dizermos o nome da blogger de quem falamos, quanto mais ir ao blog da mesma.

 

 

 

 

"Lembro-me de uma blogger que se gaba de detestar mulheres, causas de esquerda, e tudo o que é reinvidicação, mas, depois, sentiu-se discriminada ao não lhe permitirem entrar no Cascaishopping, juntamente com outros roqueiros. Escreveu uma carta em que acusava o centro de discriminar com base na roupa. O centro abriria dali a uma hora.

O Pipoco escreve que uma blogger só deveria escrever o que a mãe aprovasse, mas, depois, lista um (suposto) blogger que fala dos prazeres de se vir na cara da namorada.

Não os considero parvos, apenas com falta de ética."

 

 

 

 

Pronto, e assim, Filipa, chamemos-lhe assim, arrasa com Filipa ou não.

 

Em primeiro lugar, Filipa, chamemos-lhe assim, vejo ali um claro e grave caso de desatenção relativamente ao que escrevo e isso deixa-me triste, uma vez que aprecio mesmo muito que o mundo pare quando o faço.

O shopping não me discriminou tendo em conta o meu outfit que até ia bastante arranjadinha bem como as pessoas que estavam na rua acompanhadas das suas crianças, tal como os roqueiros, esses seres absolutamente surreais.

O shopping foi contra uma regra que ele próprio criou: abrir ao público às 08h30m. E eu cumpro regras, apesar de tudo. Pelo menos as que me fazem sentido. O shopping colocou pessoas na rua porque e passo a citar: "Por motivos de segurança, manutenção e limpeza do Centro, não nos é possível acolher os clientes dentro das instalações, pelo que têm que aguardar pela aquisição dos bilhetes no seu exterior".

Depois não foi uma hora, foram duas. Se vamos entrar no campo do preciosismo há que fazê-lo a preceito. Se eu lhe aventar dois pontapés na cabeça, não se vai só queixar só de um, pois não?

Estou aqui farta de puxar pelos neurónios que hoje calharam a passar pela casa mãe e não entendo onde foi buscar a ideia de que me gabo de detestar mulheres.

Gabo-me de ter filhos lindos, de gostar de comer e dormir, de ter uma casa fixe, cães de raça, de usar cremes que custam mais do que o ordenado mínimo nacional, de já não ter closet para tanto cosmético, mas de detestar mulheres, não. 

Elas é que me detestam.

Eu só me limito a achá-las desnecessárias. Tipo a ébola ou a malária. E obviamente que não estou a generalizar, felizmente existem as claras excepções: a minha mãe, a minha sogra, às vezes a Picante, as minhas blogo-amigas, a Isa, as minhas leitoras cutxi-cutxi, as minhas amigas e eventualmente uma ou outra que agora me esteja a escapar.

Por fim, é com agrado que vejo que a Filipa, chamemos-lhe assim, não teve qualquer problema em identificar o blogger masculino -pá, ó Pipoco, esses costados?-. Em relação a mim, senti ali algum receio em escrever o meu nome e isso deixou-me de sorriso no rosto.

 

Enquanto as pessoas não tiverem coragem de mencionar as outras nos posts/comentários que fazem, justificam o post "Parvas de Merda", esse clássico, que está para a blogoesfera como o Chanel nr.5 está para a perfumaria selectiva.

 

 

 

 

 

 

 

Olha que blogger tão jeitosinha #2

Janeiro 22, 2016

Filipa

 

Tanta coisa em comum só neste post: frango assado, Moscavide e os tipos de leitores que deixam uma pessoa à beira do vómito.

Ora leiam e digam lá quem é amiga:

 

 

 

"(...) Vinha nestes pensamentos, numa agradável espiral de irritação, e lembrei-me da história que a minha irmã me contou no sábado. Parece que um escritor e um poeta, ambos franzinos, escanzelados, andaram à pancada no bar da Barraca. Imaginava eu esse vigoroso duelo entre poesia e prosa, ria-me que nem uma perdida para dentro e para fora, quando, na rotunda de Moscavide, perto da casa de frangos, atropelei um ciclista." 

 

ando mesmo empenhada em transformar-me numa pessoa assim a resvalar para o espectacular

Janeiro 21, 2016

Filipa

 

por isso deixem-me só desempenhar o meu papel de dona-de-casa exemplar e esposa perfeita que mal tenha tempo venho cá falar das filhas da putice que as Perfumarias Douglas, e uma das lojas em particular, fazem às suas funcionárias só...porque sim.

 

A propósito deste artigo e para vos mostrar que a exploração, a falta de respeito e de valores de quem tem algum poder, está espalhado por esta merda deste país fora.

Sem que ninguém faça nada.

 

Pág. 1/4

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D