Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




 

 

e não tem a ver com:

 

- adultos que vestem leggings da zara (?)

- adultos que vestem leggings da zara, secção criança (?)

- adultos com aspecto sujo que publicitam skip (?)

- as parvas de merda do costume com as paneleirices do costume e para as quais já ninguém tem cu.

 

 

A minha Rita, a chinchila que viu a vidinha dela a andar para trás, quando faz os seus cagalhanitos de 3cm cada, faz duas coisas:

ou os come ou os manda gaiola fora. Agarra-os com as suas mãozinhas fofas e lança-os por entre as grades da gaiola. Os ditos vão cair ao lado da cama de doce Chanel que com aquela bocarra de lobo mau, quase que nem os deixa poisar no chão que até fica a brilhar. Ora, isto para quem -eu- gasta para cima de um balúrdio por saca de ração, porque é a melhor, porque tem salmão dos mares atlânticos mais profundos, búfalo do caralho mais velho, a cenoura baby mais baby do mundo e o brócolo aspergido com a água mais pura de todas, anda-me aqui a transtornar e já não sei o que hei-de fazer aos cagalhões da chinchila que por acaso, mas só por acaso, o Zé não aprecia, estamos portanto perante alguma carência efectiva da bicha e eu não consigo alcançar qual, vejamos: não tem filhos que lhe tirem noites de sono nem um marido com incapacidades graves que o impeçam de executar tarefas complexas como seja o caso de baixar o tampo da sanita depois de coiso, não tem que fazer almoços nem jantares, arranjar mochilas nem passar a ferro. Pode dormir o dia inteiro ou, em alternativa, passá-lo a apanhar banhos de sol. Período, duas vezes por ano. Tem um namorado cagão que com uma rosnadela dela se mija todo. Sinceramente, não percebo tanta carência.

Portanto, andar de mini aspirador em punho o dia inteiro está fora de questão, embrulhar a gaiola -que só mede para cima de metro e meio- em fita cola daquela grossa, para que os poios ficassem lá colados também não resultou. Quando fui ver tinha a gaiola envolta em pêlo de chinchila e as gajas praticamente nuas. O homem ainda está lixado comigo por causa da série de merda que o obriguei a ver e já avisou que tem mais que fazer do que aturar as minhas cenas, que é para eu deixar os bichos sossegados que eles lá se entendem. Como se comer merda lá fosse algum tipo de entendimento.

 

Percebem que tenho vida além blog e por isso nem sempre consigo comentar a actualidade? Há coisas urgentes que eu tenho que resolver e esta é só uma delas.

 

A outra é a Luísa e a mão que insiste em meter na fralda depois de fazer o number two.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Hoje deu-me para isto #1

por Filipa, em 23.01.16

 

Decidi que este ano vai ser o ano dA rubrica.

Dá trabalho enquadrar tudo o que tenho a dizer, o leitor não gosta de textos longos e enfadonhos, eu não tenho paciência para andar à roda do que efectivamente quero dizer, olhem, junto assim a fome com a vontade de comer e inauguro hoje, dia em que a bloga está flat, esta rubrica que me toca especialmente ao coração.

 

 

A Filipa, chamemos-lhe assim, escreveu isto, na caixa de comentários de um blog, claro, deus nos livre de dizermos o nome da blogger de quem falamos, quanto mais ir ao blog da mesma.

 

 

 

 

"Lembro-me de uma blogger que se gaba de detestar mulheres, causas de esquerda, e tudo o que é reinvidicação, mas, depois, sentiu-se discriminada ao não lhe permitirem entrar no Cascaishopping, juntamente com outros roqueiros. Escreveu uma carta em que acusava o centro de discriminar com base na roupa. O centro abriria dali a uma hora.

O Pipoco escreve que uma blogger só deveria escrever o que a mãe aprovasse, mas, depois, lista um (suposto) blogger que fala dos prazeres de se vir na cara da namorada.

Não os considero parvos, apenas com falta de ética."

 

 

 

 

Pronto, e assim, Filipa, chamemos-lhe assim, arrasa com Filipa ou não.

 

Em primeiro lugar, Filipa, chamemos-lhe assim, vejo ali um claro e grave caso de desatenção relativamente ao que escrevo e isso deixa-me triste, uma vez que aprecio mesmo muito que o mundo pare quando o faço.

O shopping não me discriminou tendo em conta o meu outfit que até ia bastante arranjadinha bem como as pessoas que estavam na rua acompanhadas das suas crianças, tal como os roqueiros, esses seres absolutamente surreais.

O shopping foi contra uma regra que ele próprio criou: abrir ao público às 08h30m. E eu cumpro regras, apesar de tudo. Pelo menos as que me fazem sentido. O shopping colocou pessoas na rua porque e passo a citar: "Por motivos de segurança, manutenção e limpeza do Centro, não nos é possível acolher os clientes dentro das instalações, pelo que têm que aguardar pela aquisição dos bilhetes no seu exterior".

Depois não foi uma hora, foram duas. Se vamos entrar no campo do preciosismo há que fazê-lo a preceito. Se eu lhe aventar dois pontapés na cabeça, não se vai só queixar só de um, pois não?

Estou aqui farta de puxar pelos neurónios que hoje calharam a passar pela casa mãe e não entendo onde foi buscar a ideia de que me gabo de detestar mulheres.

Gabo-me de ter filhos lindos, de gostar de comer e dormir, de ter uma casa fixe, cães de raça, de usar cremes que custam mais do que o ordenado mínimo nacional, de já não ter closet para tanto cosmético, mas de detestar mulheres, não. 

Elas é que me detestam.

Eu só me limito a achá-las desnecessárias. Tipo a ébola ou a malária. E obviamente que não estou a generalizar, felizmente existem as claras excepções: a minha mãe, a minha sogra, às vezes a Picante, as minhas blogo-amigas, a Isa, as minhas leitoras cutxi-cutxi, as minhas amigas e eventualmente uma ou outra que agora me esteja a escapar.

Por fim, é com agrado que vejo que a Filipa, chamemos-lhe assim, não teve qualquer problema em identificar o blogger masculino -pá, ó Pipoco, esses costados?-. Em relação a mim, senti ali algum receio em escrever o meu nome e isso deixou-me de sorriso no rosto.

 

Enquanto as pessoas não tiverem coragem de mencionar as outras nos posts/comentários que fazem, justificam o post "Parvas de Merda", esse clássico, que está para a blogoesfera como o Chanel nr.5 está para a perfumaria selectiva.

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Olha que blogger tão jeitosinha #2

por Filipa, em 22.01.16

 

Tanta coisa em comum só neste post: frango assado, Moscavide e os tipos de leitores que deixam uma pessoa à beira do vómito.

Ora leiam e digam lá quem é amiga:

 

 

 

"(...) Vinha nestes pensamentos, numa agradável espiral de irritação, e lembrei-me da história que a minha irmã me contou no sábado. Parece que um escritor e um poeta, ambos franzinos, escanzelados, andaram à pancada no bar da Barraca. Imaginava eu esse vigoroso duelo entre poesia e prosa, ria-me que nem uma perdida para dentro e para fora, quando, na rotunda de Moscavide, perto da casa de frangos, atropelei um ciclista." 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

Li num blog que a Biotherm é uma das melhores marcas do mercado. E cara, é uma marca cara. 

 

Terminar os dias com boas piadas, indicia novos dias cheios de genica, já diz um velho ditado chinês.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

 

por isso deixem-me só desempenhar o meu papel de dona-de-casa exemplar e esposa perfeita que mal tenha tempo venho cá falar das filhas da putice que as Perfumarias Douglas, e uma das lojas em particular, fazem às suas funcionárias só...porque sim.

 

A propósito deste artigo e para vos mostrar que a exploração, a falta de respeito e de valores de quem tem algum poder, está espalhado por esta merda deste país fora.

Sem que ninguém faça nada.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)






Header gentil e adoravelmente cedido pela

Gaffe