Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Por motivos de lazer, estou de partida

por Filipa, em 02.03.16

 

 

boyce.jpg

 

Mas volto.

No entanto e tal como a minha amiga pessoal, a Isa -Isa Barbosa para as maluquinhas- fez e porque acho que as coisas boas servem para lhes dar continuidade, começo já hoje a minha partilha de afectos, de mim e do meu eu interior e a celebração de nós os três (dos afectos, de mim e do meu eu) convosco.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Por motivos de labor, estou de partida

por Filipa, em 02.03.16

 

e vou passar mesmo à porta do Hospital Júlio de Matos. Dependendo do estacionamento, sou pessoa para passar por ele a pé e tudo.

A quem tenha interesse e porque gosto de ajudar: aceito encomendas e/ou pedidos de marcações de consultas.

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Havia tanto para dizer sobre a Vera, a bttista ou lá como é que se costumam chamar, mas bom, bom era metê-la num saco preto e mandá-la ao mar.

Primeiro leiam lá a sua Grande Obra:

 

 

 

"Eu gosto é da Primavera
E de andar pela rua a espirrar
A porcaria do frio, já era
E as pessoas já não passam a vida a reclamar.
A Primavera é alegria, a Primavera é amor
Atchim... Atchim... (desculpem lá)
A Primavera são roupas frescas, a Primavera é cor,
Atchim... Atchim... (que merda, pá)
 
Eu gosto é do Verão
E de andar sempre a suar
Ponho metade das mamas de fora
E mal consigo respirar.
No Verão vai tudo a correr para a praia
E eu vou para a montanha pedalar
Quando me virem alapada na areia
Por favor, mandem-me internar.
 
Eu gosto é do Outono,
E de ver as folhas a cair
Esta é a minha estação do ano preferida
Neste poema não vos posso mentir.
No Outono cheira a terra molhada
E há um mundo inteiro para curtir
O Natal está quase a chegar
E só me apetece dormir sorrir.
 
Eu gosto é do Inverno
E de passear de guarda-chuva na mão
Sentar-me a ler e a comer chocolates no sofá
E de ficar gorda como um leitão.
No Inverno, mesmo a tremer de frio
Vou andar de bicicleta a chover
No final tomo um banho bem quente
E depois vou para o sofá foder.
 
 
O meu pai diz-me desde pequena
E é hoje que vos vou contar
Filha, tu gostas de toda a puta merda
E isto, este poema pode provar."
 
 
 
 
 
Ah e tal, a Filipa das asneiras... é mas é o caralho, pá.
 
 
 
 
Relembro que os autores dAs Grandes Obras não permitem qualquer tipo de partilha, cópia, print screen, referência, link, bem como a autora do Concurso Literário e a autora deste blog.
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

cenas :





Header gentil e adoravelmente cedido pela

Gaffe