Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Filipa solidária

Junho 23, 2016

Filipa

A minha voltinha diária aqui pelo Sapo costuma ser profícua e desta vez não foi excepção. Nunca é, seja para o bem ou para o mal. É uma voltinha que dispõe bem, é uma companhia na pausa do café, é um confortozinho que ali temos nos dias úteis e o patrão não se importa que lhe roube um pouco de net porque sabe que de seguida vou produzir mais alegremente.

Desta feita cheguei aqui e decidi mostrar a minha solidariedade -no meu blog, pois então, já se sabe que sou bicho do mato e o meu coração pende para os bloggers do blogspot.

Filipa, que passa os dias a tirar bicas -curtas, cheias, sem princípio, sem fim, pingadas, escaldadas, em chávena fria, italianas, meias, cariocas, abatanados, duplas, triplas, escorrido, americano, banheira- a servir pasteis de nata, croissants, mil folhas e etc, sandes de fiambre, de queijo, mistas com e sem manteiga, às vezes tostas mistas, a limpar mesas, balcão e tudo o que estiver apenso ao serviço, sofre do mesmo mal e mostra, com provas que sofre do mesmo mal, que tem haters com formação ultra superior que a achincalham devido ao facto desta apenas possuir o quarto ano.

Acho mal.

Captura de ecrã 2016-06-22, às 14.54.23.png

 

Captura de ecrã 2016-06-22, às 14.54.57.png

 

Captura de ecrã 2016-06-22, às 15.00.04.png

 

Captura de ecrã 2016-06-22, às 15.00.16.png

 

Captura de ecrã 2016-06-22, às 15.09.35.png

Captura de ecrã 2016-06-22, às 15.10.46.png

 

 

 

 
Há até quem pendure, qual quadrinho exposto na sala, nas barras laterais os seus diplomas, como forma de reivindicarem o seu lugar na blogoesfera bem como exercer o direito ao seu protesto contra quem não tem estudos.

Ora vejam: 

 

diploma1.jpg

 

diploma2.jpg

 

 

Restará a Filipa e dadas as evidências, fechar o estaminé e juntar-se ao clube das marginalizadas que, por não terem estudos, não estão aptas a terem um blog, pergunto?

 

 

Uma das minhas cadeiras do curse é a psicologia interior invertida imortal incarpado

Junho 23, 2016

Filipa

E é nesta mesma cadeira que temos de nos dobrar sobre as coisas que nos apuquentam verdadeiramente e mais tarde debatê-las em debates.

Desta vez decidi falar de pernas por causa que acho mais importantes que os braços. Nunca vi ninguém andar com os braços, mas já vi pessoas a abrir e a fechar pernas, por exemplo.

É engarçado como achamos garça às nossas pernas. somos agradecidos por as termos-as, sem elas tinhamos de andar de moletas ou de cadeira de rodas ou até mesmo de outras coisas, mas por vezes as nossas próprias pernas esgotam-se, esmereçem, apesar de lhes dezer-mos para irem só até ali, mais além.


Será por isto que as pessoas bebem e se drogam? 

Acho que as associações deviam começar por aqui, nas reuniões dos anónimos, verificarem se os aditivos tinham as duas pernas porque o problema pode estar aí e só deixavam entrar essas pessoas. Os portadores de todas as pernas ficavam à porta porque iam só desperdiçar recursos e assim.

 

Eu tenho as duas pernas.

Eu corro.

Eu busco.

Eu faço o 4.

Eu faço a espargata.

Por isso é que não me drogo nem bebo nem dou despesas nem dores de cabeça ao estado português.

E vocês, drogam-se ou bebem por causa que as vossas pernas não vão ali?

 

 

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D