Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

...

Outubro 14, 2013

Filipa

Isto anda um bocadinho mortiço e não é coisa que me incomode. Pelo contrário. É por demais sabido que me exauro com o mal que as pessoas possam pensar a meu respeito, nomeadamente da minha maneira de estar e ser. Posso, por isso, não ser politica nem socialmente correcta porque não estou sujeita a julgamentos-outra coisa que me corrói, saber que os outros me julgam.
Enjoo das pessoas a uma velocidade perigosíssima. Esta malta vem ter comigo amiúde para desabafar ou assim e estou em crer que tal se deve à minha cara de miúda doce e preocupada com o próximo. Não vejo outra explicação. Por muito enfado que mostre, por muito que olhe para o relógio e que diga "então, vá", não vale a pena. O meu olhar amendoado e reconfortante parece que diz o contrário e enchem-me os pacová com merdas inúteis e eu não tenho paciência. Não estou com paciência para ser amiga, deve ser isso. 
Há coisa de algum tempo decidi ser muito radical e cortar com algumas coisas que me andavam a fazer mal..
Por exemplo, primeiro foi a Coca-cola. Bebia imensa Coca-cola durante o dia e decidi deixar, mas assim à bruta, sem desmame nem nada, hãn?, e comecei a reparar que andava com menos gases.
Depois os muitos cafés e além de mais calma, dormia muito melhor e já se sabe como um soninho descansado e reparador se reflecte na cútis. Nem olheiras tenho, um espectáculo.
Depois os elevadores. Subi uma vez os onze andares do prédio do meu escritório e decidi deixar esta para depois que muitas metas juntas podem muito bem fazer com que uma pessoa se desfoque do verdadeiro propósito.
Depois, alguéns. Umas espécies de amizades que nunca me serviram e vejo que o problema, o meu problema, ao fim ao cabo, é a pouca capacidade que tenho de levar as coisas até ao seu verdadeiro fim porque tenho receio de nos entretantos me arrepender. Porque falar é simples, as coisas são naturalmente descomplicadas, facilmente reposicionáveis e o céu muito mais azul e brilhoso. Mandar as pessoas à merda é que é do cacete. E eu decidi mandar algumas.
Ahhhh, quem quero eu enganar?, óbvio que não estão a entender nada. Quereis um paralelo para o perceberdezes melhor? Ei-le-o:
Um dia acordei e fui à janela com uma xícara de café na mão, dei uma passa num cigarro e senti-me mal. Apaguei o cigarro e não mais fumei. Um ano e oito meses depois, estou muito mais leve e feliz.

Acho que já me dispersei um bocadinho, mas isto anda mortiço, ninguém vai dar conta.

11 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D