Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

43

Outubro 27, 2017

Filipa

Foi um bom ano, este.

Consegui passar por ele sem chorar grande coisa. Foi muito meu amigo, este ano que se adivinhava de alguma reviravolta. Passaram por mim dias tão felizes que quase me fizeram esquecer a nuvem negra que trago sempre pendurada ao peito e hei-de trazer até ao fim. Quase. Foi um ano onde imperou, sobretudo, a paz. Relativizei sobras e priorizei o que me é caro. Tive saudades de ter tempo para tudo e vontade de desacelerar. Desacelerei e apreciei o caos. Vi os meus filhos a crescerem a uma velocidade estonteante. O meu João no outro dia deu um pontapé numa mesa e magoou-se na canela, porque uma menina na sua escolinha o estava a chatear "tanto, tanto" e ele "xei bem que ox meninox não podem bater nax meninax". Vai daí, anda-me com meia perna toda negra porque naquela cabeça de 4 anos fez mais sentido libertar a fúria numa mesa do que algures na miúda. A minha Luísa que só vai dormir depois de se despedir de toda a gente e de todos os animais cá de casa. Todos. E dos brinquedos. E dos tapetes. E do penico. E da papa. O pai é sempre o último. E quando acorda, a primeira coisa que faz é dizer olá a todos, inclusive aos carros estacionados. Às nuvens, ao sol, à chuva, às pedras. O pai continua a ser o último. Percebo-a, o melhor fica sempre para o fim. O meu gajo foi o melhor todos os dias. Todos os anos, desde o primeiro, o é e não vejo jeitos de ele conseguir ser de outra forma. Mudei de funções, no emprego. Se antes servia bicas e pastéis de nata, agora já faço sandes e tostas mistas. Está a ser um desafio tão giro quanto cansativo, o que se traduz em várias coisas como por exemplo menos tempo para blogues e afins. Não me estou a queixar, o meu sistema nervoso tem-me agradecido imenso. Gosto de fazer anos, mas não gosto de envelhecer. Gosto da experiência que o tempo me traz, mas não gosto do peso que o passar dos anos me deixa na alma. Cada vez faço anos mais rápido, tudo à minha volta se passa mais rápido e eu já não vou tendo idade para acompanhar esta velocidade louca, nem a minha cabeça capacidade para memorizar o que é de eternizar.

Preciso de tempo, onde e a quem é que eu peço o meu presente?

 

34 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D