Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Ainda há coisas que me escapam nisto dos blogues

Novembro 09, 2015

Filipa

 

Por exemplo, aquela linha fininha que separa do que pode e do que não pode. É que eu ainda ando a aprender, não sei se me estão a acompanhar.

Por exemplo, eu já percebi que não se pode gozar com pessoas doentes. Não importa do quê. As pessoas doentes, por algum motivo que me ultrapassa, podem escrever sobre tudo e mais um par de tomates, não importa o quê. Estão libertas de qualquer noção de ridículo, podem escrever à vontadinha e a nós, pessoas do bem e compreensivas, cabe-nos compreender, aceitar e ir às nossas vidinhas, mesmo que fiquemos com a sensação que as coisas estão assim um bocadinho em desequilíbrio, sobretudo para o lado das pessoas sãs.

Isto eu já percebi.

O que eu ainda não percebi e é aqui que eu preciso da vossa ajuda, é o seguinte:

Como é que há gajas que nos seus blogues arrasam com os grupos de bloggers frustradas e maldosas, autênticas bullys (que ainda não sabiam do protocolo acima referido) em posts absolutamente, como direi isto sem ofender susceptibilidades...?, chatos como a merda, e de seguida, publicam posts a gozar com quem é intelectualmente inferior, i.e, praticamente analfabetos, tendo em conta a inferioridade intelectual com que a blogger em causa nos brinda tooooooodo o cabrão do santo dia. E quando eu digo todo o dia, é mesmo todo, acreditem.

Todo.

É que estas tendências altruístas e filantropas, são as mesmas que queimam as bruxas, invejosas, com falta de amor em casa, imbecis e raivosas, em praça pública, e isso deixa-me assim um bocadinho confusa e eu confusa sou pior do que o deus me livre, não têm noção.

Por acaso aquela mulherzinha, quando se riu imeeeeenso com o desconhecimento que uma criatura mostrou ter da língua portuguesa ao escrever acerca de um desamor, se lembrou que ela podia muito bem estar em depressão? Será que não viu que a pobre alma estava, claramente em sofrimento amoroso e toda a gente sabe que o amor dói, porra, se dói, arrisco a dizer que dói mais do que parir, só alguém sem alma é que não tem compaixão por alguém com o coração em sangue. Depois, bom, depois o céu, que é como quem diz, a nossa bondade não tem limites: a pessoa pode ter escrito aquele desabafo a meio de um ataque de choro, a meio de um surto mais agressivo, a meio de tudo ao mesmo tempo, pode ter apanhado um pifo e ter ido desabafar para o facebook, ou pode, simplesmente não ter tido possibilidades de ter estudado. Calhando, teve de começar a vergar a mola desde cedo e, vai daí expressa-se como sabe. Um analfabeto também sente. E tem o  direito de expressar o que sente. Como sabe. Ora que caralho.

Esta "moral" selectiva baralha-me os loiros neurónios, caramba. Se por um lado a expressão livre de sentimentos de uns é defendida com unhas e dentes, por outro, arrasta pela lama do embaraço a de outros e isso confunde as bullys e as bullys andam drenadas com estas questões:

afinal isto de se gozar com determinado assunto é tudo uma questão de se ser hipocritamente tendenciosa, não é? percebi tudo bem desta vez, não percebi?

 

 

 

Post com dedinho de uma boa amiga. Obrigada, pá.

 

112 comentários

Comentar post

Pág. 1/3

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D