Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




E de repente

por Filipa, em 11.12.14
parece que neste hospital afinal trabalham pessoas. De repente, após o meu legítimo direito à reclamação e exposição dos factos que a originaram, o meu pai é brindado, e por consequência eu também, com médicos competentes e diagnósticos concretos, informações que não nos deixam dúvidas que os tempos que aí vêm, não serão tempos fáceis, com enfermeiras que nos explicam o que esperar dos tratamentos, que nos aconselham consultas de psicologia porque nunca se está preparada para o pior, que nos dizem para nos irmos despedindo, aos poucos, para falar de coisas bonitas e serenas, que o tratam pelo nome, que o ouvem quando se queixa das dores que o arrumam a um canto, que lhe perguntam o que lhe apetece comer mesmo sabendo que não irá comer uma migalha, com auxiliares da acção médica que tratam dele como se fosse de porcelana, que perguntam se precisa de alguma coisa, que lhe ajeitam a almofada que exigiu, a de casa. E no meio deste novo mundo, há uma administrativa que diz, ao ver-me na sala de espera, sem coragem para seguir até ao quarto "Não perca tempo, um dia de cada vez, Filipa. Todos os dias como se fosse o último, diga-lhe tudo o que tem a dizer, o quanto gosta dele, como ele é importante. Todos os dias, sempre que puder. Não chore, não lhe dê a preocupação. Sorria. Venha."
E eu fui.

Era só disto que falava.

Autoria e outros dados (tags, etc)


27 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 11.12.2014 às 22:00

Sem imagem de perfil

De Palmier Encoberto a 11.12.2014 às 22:17




(só para dizer que estou aqui deste lado :' )
Sem imagem de perfil

De xaxia a 11.12.2014 às 22:28

Oh Pipinha...
Sem imagem de perfil

De A Mais Picante a 11.12.2014 às 22:36

Um grande, imenso, enorme abraço, minha querida.
(Já sabes, não sabes?)
Sem imagem de perfil

De Mãe Sabichona a 11.12.2014 às 22:37

Força.
Sem imagem de perfil

De quiescente a 11.12.2014 às 23:55

Querida Filipa, um beijo muito grande, e toda a força que seja possível.
Lamento muito querida Filipa. Sei o que é e sei que não há nada que se diga que mitigue a dor.
Terno beijo.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 12.12.2014 às 00:03

Lamento imenso. Gostaria de ter melhor palavras de consolo.
Ficaria extremamente feliz se nos viesses daqui a uns meses dizer que tudo passou e que ele se tinha livrado dessa porcaria.

Muita força e coragem. Um abraço.
Sem imagem de perfil

De PL a 12.12.2014 às 00:31

Querida Filipa, um abraço muito apertadinho.
Sem imagem de perfil

De ana a 12.12.2014 às 08:57

Infelizmente nada do que se diz pode ajudar ...
Coragem e fé.
Sem imagem de perfil

De A Loira a 12.12.2014 às 09:23

Love you Pipinha (mesmo e a sério)

Comentar post


Pág. 1/3






Header gentil e adoravelmente cedido pela

Gaffe