Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




 

Em primeiro lugarzinho, deixem-me dizer-vos que devem escolher restaurantezinhos ou assim, pertinho de casa por forma a poderem ir ver os vossos petizeszinhos de hora em horinha.

Não recomendo que estejam muito mais tempinho sem os ir controlar senão correm o risquinho de não acabarem o vosso jantarinho.

 

Portanto, isto funciona assim mesminho:

O puto começa com gritinhos, com murrinhos e com pontapézinhos e vocês têm mesmo de contrariar aquela tendência, talvez pela sua simplicidadezinha, que é a de acalmar as criancinhas. Evitem acalmá-las. Este é aliás o primeiro errinho. O objectivo é enervá-las ainda mais, de forma a que não só estraguem a vossa noitinha como as dos que vos rodeiam.

O que têm a fazer é simples: agarram num garfinho e carinhosamente vão dando com os dentinhos dele -do garfinho, não do vosso filhinho- na cabecinha do vosso rebentozinho.

Se não funcionar, podem tirar o cinto das calcinhas do vosso maridinho e dar-lhes um arrailzinho de tareia de cintinho. Às vezes pequeninhos e secos caldos costumam funcionar porque o cintinho é capaz de fazer-vos ter de mexer na disposição das mesinhas e cadeirinhas do restaurante e não vamos querer desmerecer do trabalhinho dos designers, certo? 

Resumindo, não lhes dêem abracinhos e nunca, em circunstância alguma os tentem acalmar. Dêem-lhes porrada nos corninhos ou isolem-nos do mundo.

Ou então não tenham filhos, é capaz de resultar ainda melhor.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


31 comentários

Sem imagem de perfil

De Tónicha a 12.04.2016 às 14:35

Ahahahahahahahaha....
Não me ocorre dizer mais nada a não ser:
Ahahahahahahahahah......
Imagem de perfil

De nervosomiudinho.blogs.sapo.pt a 12.04.2016 às 14:45


Até fiquei abafadinha dos olhos nesse post. Se me fizessem isso, era capaz de ficar com vergonha pela birra, stressada por não a conseguir parar, manter a calma era o difícil. Mas gritar por cima ou bater não me parece que ajudasse naquele momento, mas eu não tenho filhos, nem leio livros sobre pequenos ditadores.
Imagem de perfil

De Filipa a 12.04.2016 às 14:57

É agarres no puto e mudar de ambiente, às vezes é o que chega.
No caso de por algum motivo ser impossível, acho mesmo que aclamar a criança é a solução.
E sobretudo não criticar, claro, uma vez que não se sabe das coisas que podem eventualmente estar por detrás de tal birra.

Caso não apetece nenhuma das, pá, o melhor é mesmo não ter filhos.
Imagem de perfil

De nervosomiudinho.blogs.sapo.pt a 12.04.2016 às 15:02

É o que acho. Manter a calma achei mesmo louvável, não percebi a crítica. O fácil é aquilo ser irritante e reagir a quente. Não sabemos se ficou de castigo depois, se levou a palmada em casa, se leva a palmada e não adianta.
Sem imagem de perfil

De Be a 12.04.2016 às 14:54

Qué que foi?? Tenho quatro filhos e nunca mas NUNCA me fizeram uma birra!
Há dúvidas?! Quantos são??!
Imagem de perfil

De Filipa a 12.04.2016 às 14:55

Não percebo esta gente!
Há lá coisa mais simples do que deixar os putos aos cuidados dos cães?
Uma malga de comida e outra de água, uma guita nos tornozelos para não me partirem nada e ala Cardoso.
Não percebo porque complicam, uma chatice.
Imagem de perfil

De Pequeno caso sério a 12.04.2016 às 15:02

Ai Filipa, Filipa...parecias memo uma 'ssoa que eu cá sei , C'o a breca! ;)
Queria era ver essa 'ssoinha ter tomates e fazer o mesmo que eu fiz à minha filha no meio de um hipermercado quando teve a triste ideia de fazer uma birra por causa de um chupa. Não vou dar pormenores mas envolve ranho (muito ranho), uma mãe desnaturada (eu), e um paravalhão que se lembrou de alvitrar sobre o assunto sem eu lhe ter pedido!
Sem imagem de perfil

De Me a 12.04.2016 às 16:24

Coisas que me intrigam, do pp post e dos comentários (q só li na diagonal, alguns). Ora que dizem q está ali um ditador e o diabo a quatro. Mas, e eu n percebi o que a criança queria, o erro (e o sinal de que seria a criança a mandar) não teria sido se a avó se tivesse prontificado de imediato a dar o que a criança queria??
Ao oferecer alternativas creio q tentava desviar a atenção da criança do que ela queria na realidade, e que por alguna razão a avó entendia que não podia ser.
Não estou com isto a dizer q por vezes não se possa dar uma palmada, mas começar por ai, se calhar...
Imagem de perfil

De Filipa a 12.04.2016 às 16:28

Mas eu não sou contra a palmadinha, atenção!
Sou é contra o criticar só porque sim.
Se a avó assim entendeu, o que há para criticar?
Ou os que levam no focinho não se tornam psicopatas?
Quem define o que é bem educar?
Pois é.
Sem imagem de perfil

De Me a 12.04.2016 às 16:33

Sim sim.
Embora seja certo q realmente já presenciei a certas coisas que fiquei um bocado passada. Mas lá está, cada qual educa como entende.
Sem imagem de perfil

De Tonicha a 12.04.2016 às 17:06

Pior que o post só mesmo os comentários.
Mas quem é a alminha que diz uma alarvidade destas.
"Não Concordo!
Só contra as palmadas.. sejam elas no rabo.. ou chapadas!
Não deixam de ser violência para com as crianças! Ficaria satisfeita se o seu marido lhe desse uma palmada na cara porque as calças que ele queria ainda não estavam lavadas!? Pense um pouco nisso.. "
Really???? Really????
Imagem de perfil

De Filipa a 12.04.2016 às 17:12

AHAHAHAHAHAHAHHAHAHAHAH
Sem imagem de perfil

De Tonicha a 12.04.2016 às 18:03

Parece que no caso desta senhora sim.
Considerar que o homem bater na mulher é menos grave do que um pai/mãe/avó dar uma palmada numa criança, porque ambos são adultos.
São alarvidades umas atrás das outras.


Sem imagem de perfil

De Troll a 12.04.2016 às 18:25

Basta ir ver o blog e o ultimo post onde diz que Deus quis que tivesses dois filhos assim, e que eles são especiais e ela também, enfim... É muita sabedoria para uma cabeça só, é o que acho!
Imagem de perfil

De nervosomiudinho.blogs.sapo.pt a 12.04.2016 às 18:37

Não limpar o pó é pôr-se a jeito mas não lavar ou passar as calças é mesmo estar a pedi-las. Não se pode tentar assim o coitado do homem, que é obrigado a dar-lhe logo dois estalos, só para ver se ela aprende e não volta a repetir.
Imagem de perfil

De Filipa a 12.04.2016 às 18:38

É logo e mais nada.

O meu quando chega, pelo sim pelo não, aventa-me logo duas broas para ficar logo despachado.
Imagem de perfil

De nervosomiudinho.blogs.sapo.pt a 12.04.2016 às 18:41

O meu faz uma vistoria à casa. O que eu suei no dia em que não lhe arrumei as meias na cómoda, por sorte tinha os chinelos, o robe quente e um bagacinho à espera dele.
Imagem de perfil

De Filipa a 12.04.2016 às 18:44

Bagacinho?
Muito bem.
O melhor para maridos que gostam de se impôr.
Parabéns.
Imagem de perfil

De nervosomiudinho.blogs.sapo.pt a 12.04.2016 às 18:48

Ele trabalha muito sabes. Isto de me educar acabou por o cansar. Quando tem me dar umas bofetadas, dói-lhe mais a ele do que a mim.
Sem imagem de perfil

De Pipocante Irrelevante Delirante a 12.04.2016 às 20:34

Haja quem tenha bom senso.

Mas um whisky ou um Favaios, fica bem, cai melhor que um bagaço.
Imagem de perfil

De nervosomiudinho.blogs.sapo.pt a 12.04.2016 às 20:39

Somos gente rude, do campo. Só temos dessas bebidas para inglês ver.
Sem imagem de perfil

De Me a 12.04.2016 às 21:49

Oh yeah. E mais abaixo escreve "É deveria ser crime!
Se o seu marido lhe der uma palmada para a educar à maneira dele acha bem!? 
Palmada seja em que contexto for é sempre mal aplicada."

Tudo ali é medonho.
Ela é q devia ter apanhado umas palmadas, ou tabefes mm. Era chamar o João Soares e apresentar-lhe esta senhora, ele dava conta do recado :)
Imagem de perfil

De Filipa a 12.04.2016 às 21:50

AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH!
Sem imagem de perfil

De Me a 12.04.2016 às 21:44

Estive a isto (visualizar os dedinhos quase, quase a juntarem-se) de comentar esse comentário.
Sem imagem de perfil

De Pipocante Irrelevante Delirante a 12.04.2016 às 20:37

É isso ou educa-los para que não façam birrinhas.
O mini me fez apenas uma fora de casa (no c...ent..). Deixei fazer o seu número, fartou-se, foi a última.
Ou se calhar é tudo uma questão de sorte.

Sem imagem de perfil

De R. a 12.04.2016 às 21:48

É sorte mesmo, é das crianças.

Eu e o meu irmão mais velho, educados da mesma maneira, eu fiz birras até muito tarde (fazia birra até sozinha, logo não era para o espectáculo), fartei - me de levar "lamparina nas trombas" e ser castigada, nunca as birras diminuíram. O meu irmão nunca fez uma birra, a nível de educação somos iguais, ele não é mais educado do que eu pelo facto de não ter feito birra. Eu, vim a ser diagnosticada tarde como hiperactiva e tenho algumas sequelas devido a problemas no parto, também diagnosticadas há pouco tempo (há 40 anos na aldeia isso não existia).

As minhas enteadas, que sou mais permissiva com elas do que com o meu filho, nunca me fizeram birras. O meu filho até aos 3 anos fez imensas birras, depois começou a perceber as conversas e castigos e pelos 5/6 parou completamente. Felizmente eu lembrava me das minhas birras e sabia bem que, até que o pico da birra diminuir, eles não vão ouvir nada. Por isso, queres rebolar no chão? Olha rebola... acaba a birra, e em privado, conversa e castigo. Assim que começou a entender, diminuíram drasticamente. Quando os castigos começaram a ser mais demorados, acabaram completamente
Imagem de perfil

De Filipa a 12.04.2016 às 21:51

ahahahahahaha fazias birra sozinha?? És cá das minhas ahahahahaha

Eu cá sou como o PID, deixo-os a falar sozinhos e vou à minha vida.
Felizmente são poucas as que fazem. Eles lá saberão que a mãe não é muito dotada de paciência e que os cães andam sempre famintos...
Sem imagem de perfil

De R. a 12.04.2016 às 22:02

O meu se me fazia a birra em casa, também ficava sozinho. Muitas vezes o deixei a rebolar no chão do supermercado e continuei as compras (sempre com olho nele).

Ainda há umas 2 semanas, passei por cima dum que rebolava no chão. Tudo a olhar de lado para os pais, eu com um sorriso maravilhoso para eles.

(As minhas birras sozinha tinham a ver com o facto de não conseguir lidar com a frustração de não conseguir fazer imediatamente, mas tinha que ser logo, qualquer coisa. Tem a ver com a hiperactividade. Quando comecei a entender que há coisas que demoram o seu tempo a fazer aprendi a disfarçar a frustração)
Sem imagem de perfil

De Pipocante Irrelevante Delirante a 12.04.2016 às 22:12

Não acredito em sorte.
Aliás, uma ou duas é sorte, mais que isso é hábito, esses ganham-se e perdem-se. Podem é usar-se métodos diferentes.
Palmadas sou contra, por várias razões, fazer o que querem é recompensar mau comportamento.

Comentar post






Header gentil e adoravelmente cedido pela

Gaffe