Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

30
Ago16

Rapidinha I

Filipa


Havia muito a dizer sobre a incapacidade das sapoblogueiras entenderem as estatísticas que esta plataforma disponibiliza, mas desconfio que tal está directamente relacionado com o facto de serem as mesmas estúpidas do caralho, sobretudo as de cabelo de arame -amiga, já fazias umas corridinhas, não?- a exibir orgulhosamente blogues de merda.

Sendo assim, está tudo dito.

 


26
Jul16

Gomo 2, o meu Deus Gregóarromano

Filipa

Olá, bêéfeéfes.

 

Ai, tenho tanto para vos contar depois daquilo dos tomates que nem sei para onde me eide virar, se em frente se por detrás!!!! 

Se calhar pontuava tudo para facilitar a leitura:

Ponto um: finalmente acabei de arranjar aquela tomatada toda e já fiz o doce todo. Gastei quinze bilhas de gáz e três meses inteiros a mexer taxos cheios de tomate e açucar amarelado mas já estou despaxada. Tenho aqui prendas para toda a gente, inclusiver para a minha ex futura ex sogra, mãe do Puko Nino que voltou à recarga. Não me aperguntem, é complicado por ademais.

Ponto dois: desde a semana passada muita coisa aconteceu enquanto estava com a barriga encostada ao fogão e fasia o doce: passámos a consoada juntos, sinal claro de compromiço sólido e com feturo. Ele fertou-me uma jóia de empunhar ao peito em forma de oito: fazia 8horas que nos conheçíamos. O meu deus arromanógrego é mesmo atensioço.

ponto trêz: na terça-feira, dia de natal, como estava bom tempo -o S. José anda feito brincalhão com nosco ihihihihiih- fomos até à fronte da telha e como estavão 42ºC passá-mos o dia a caminho da toalha e da água e viçe e versa. Ainda hoje estamos a ssoro com as quimaduras que sufremos. 

Ponto quatro: na quarta, dia de páscoa, matámos meio borrego e da parte da tarde fomos até aos assores ver dois assores namorarem. Tão romântico, não é?. Voltámos mesmo a tempo do carnaval em que nos mascarámos de amebas de merda. Não foi preciso muito: apenas arrespirar para dentro e para fora, não nesseçáriamente por esta ordem.

Ponto cinco: sinto uma sensação boa de banho tomado, mas sem entrar no polivã, chigar ao trabalho e fazer posts destes em que falo da minha história de amor que já se passou mas que vou contando como se estivesse a passar ou estivesse para passar o que já se passou porque as coisas do amor são assim, intemporais que é quando há um vendaval mas ao contrário.

Não gostão tanto?

Ponto seis: o meu deus tem sete filhos lindos, todos mais velhos do que eu. Damos-nos todos bem e à noite vou-lhes dar o beijinho de boa-noite e acolchoar as roupas da cama. O meu deus adora que eu me dê assim tão bem com os meus en telhados. Quase que paressemos o princepe, a branca de neve e os sete anães. a minha hestória de amor faverita.

Ponto sete: querião já tudo, não? Para a semana vamos passar o 25 de Abril a Mérdola, a terra natal do meu deus. Esperem por niws.

 

Kis, kis

 

20
Jul16

Olha!! Afinal há no Sapo quem queira saber de mim!!!!

Filipa

 

Olhai aqui a entrevista que o Sr. Solitário me fez.

 

Aqui fica a entrevista, porque hoje não tenho tempo para posts, abençoada entrevista, veio msmo em boa altura!

 

"Uma das bloggers mais criticadas, adorada por uns, odiada por outros. No seu blogue podemos ver muitas dúvidas cor-de-rosa esclarecidas, ou então não! Convida todas as maluquinhas a sentirem-se em casa, elas (e eles) visitam-na regularmente, fazendo assim um dos blogues mais lidos.

Senhoras e senhores, hoje estou à conversa com... a Filipa.

 

Sou a Filipa (yep, essa mesma), uma miúda amorosa, que gosta de fadas, de algodão doce e de póneis - dos mais pequeninos por causa que os grandes cagam imenso. Mãe de duas criaturas amorosas: a Luísa que quando faz o #2 mete a mão na fralda e dá ao irmão para cheirar e do João que adora lamber os batedores das portas. Vê-se mesmo que os desovei, saem mesmo a mim, meus ricos filhos.Gosto de conviver com outras bloggers e adoro amizades virtuais. Espero que gostem, que se identifiquem comigo e cá estou eu, sem filtros, no "à conversa com..."
Beijinhos!!!

 

Solitário: Olá Filipa, bem vinda. Porquê Dúvidas cor-de-rosa?

Filipa: Obrigada!

Obrigada também pelo convite, há muito que ansiava por uma entrevista, tanto que aqui há tempos me entrevistei a mim própria. Foi um sucesso mas soube-me a pouco.

Porque sou uma girly. Se tivesse aberto o blog na minha adolescência, teria sido provavelmente "Dúvidas existenciais", ou "Dúvidas acneicas". No caso, soou-me bem e assim ficou. 

 

S: Alguma dúvida ficou ainda por esclarecer?

F: Sim, por acaso, agora que falas nisso, reparo que sim. Se o polvo for à panela de pressão com uma cebola, fica mais tenro ou é mito?

 

S: És maluca ou atrais maluquices [risos]?

F: Atraio malucas. Paletes. Resmas. Carai, toda eu sou um íman. Mas não me importo. Gosto deste voluntariado imposto. Mostra-me que sou mais sã do que aquilo que penso e a minha verdadeira missão terrena.

 

S: O humor tem um papel muito importante na tua vida. Sorrir para não chorar?

F: Não. Sorrir porque esse é o desenho que a minha boca naturalmente tem.

 

S: Como foi a tua aventura de emigrante em Londres?

F: Profícua, mas não fui em aventura, fui em trabalho.

 

Gosto de cheiros, porque me transportam, revivo as coisas, momentos e por isso os marco com aromas muito meus. Não gosto de estupidez porque sofro dos nervos.

 

S: Quais as principais diferenças/dificuldades que encontraste?

F: As mais flagrantes: eles não falavam uma palavra de Português e não usavam euros. Dois grandes problemas.

 

S: Que espécie de preconceito sofreste?

F: Nenhum. Os Portugueses foram um bocadinho difíceis de lidar, mas hey!, nada que não esteja habituada. 

 

S: A que sabe a saudade de uma emigrante?

F: Sabe a chouriço, que é aquilo que por muitos supermercados ingleses que corras, nunca irás encontrar.

 

S: Gostas muito de tatuagens... Qual a tatuagem com que mais te identificas? Porquê?

F: Com todas as que tenho. Cada fadinha, golfinho e estrelinha que tenho são super significativas e adoro-as a todas.

Por exemplo, tenho uma fada no pescoço que quer dizer que nasci com o c* virado para a lua. E um golfinho no dedo grande do pé esquerdo por causa que diz que afasta os maus olhados. No direito já não resulta, só mesmo no esquerdo.

 

S: As pessoas têm prazos de validade? 

F: Têm pois. Nascem e depois morrem. Menos o Duncan MacLeod do clã MacLeod. Desde que usasse uma malha de aço no pescoço, a validade era de facto eterna.

 

Gosto de música, porque ela faz parte de mim. Não gosto de mulheres carentes de atenção. Porque sofro dos nervos.

 

S: Alguma vez te arrependeste de algo que disseste?

F: Sim. Sempre que vou ao cabeleireiro e peço para cortar SÓ AS PONTAS. É uma incapacidade que as cabeleireiras têm, é a de perceber e realizar medidas. Para contornar esta situação, passei a cortar o meu próprio cabelo. Melhor decisão ever.

 

S: Tiveste uma gravidez difícil, li algures que odiaste estar grávida.Uma experiência a não repetir?

F: Difícil?? Difícil foi desovar estas criaturinhas deliciosas. Se tivesses lido noutro algures, terias lido que queria mais filhos. Coisa que acabou por acontecer. Adorei estar grávida. É a desculpa perfeita para enfardar porcarias de manhã à noite.

 

S: Ser mãe muda totalmente uma mulher?

F: Algumas mudam, outras não, depende. A mim mudou-me da cintura para cima e para muito melhor.

 

S: Qual a importância que os teus filhos têm na tua vida?

F: Alguma, confesso. Menos do que um braço e mais do que um dente do siso.

 

S: O teu blog tomou proporções gigantes, ficando muitas vezes nos mais lidos. Qual o segredo para o sucesso?

F: Não posso revelar, né?, senão era ver o gajedo sapiano todo a fazer o mesmo. O segredo é a alma do negócio, meu caro ;)

 

Gosto de rir, mesmo nas alturas mais complicadas, não sei ser de outra forma. Não gosto de blogues do Sapo. Porque sofro dos nervos.

 

S: São mais os leitores que te odeiam do que aqueles que te adoram?

F: (Como assim há leitores que me odeiam??)

Os que me adoram, obviamente.

 

S: As críticas abatem ou fortalecem?

F: Eu digo não à violência, digam vocês também. Em coro, de preferência. Para ser uma paz a resvalar para o musical.

 

S: Muitos acusam-te de cyber bullying. O que tens a dizer em tua defesa?

F: Em minha defesa, não tenho de dizer nada, os acusadores é que têm de provar. A menos que algo tenha mudado nos entretanto, alguma deslegislação ou assim, era exactamente desta forma que a coisa se processava.

 

S: Consideras-te uma pessoa insensível?

F: Pelo contrário. Sou sensível às temperaturas, à cera quente, ao pólen, aos ácaros, aos vizinhos chatos e pessoas estúpidas. 

 

S: O que aprecias mais nos blogues?

F: A interacção, claro. Quem não gosta de chegar a um blog e ver 1700 comentários? Eu adoro.

 

Gosto de falar, porque tenho sempre alguma coisa a acrescentar ao que já foi dito. Não gosto de blogues de merda. Porque sofro dos nervos.

 

S: Dizes que não gostas dos blogs da sapo, no entanto tens um alojado nessa plataforma. Porquê?

F: Porque fui expulsa do blogger, aqui há uns unicórnios e cavalos alados atrás.

 

S: Existe algum limite para a Filipa enquanto blogger?

F: Sim, claro que existe. Três posts no máximo. Mais, é cansar o pobre leitor. Faço questão de não pisar essa linha que pode ser ténue se nos entusiasmamos em demasia.

 

S: O que gostarias de dizer aos leitores que gostam de ti e aos que não gostam?

F: Aos que gostam, cá beijinho. Aos que não gostam, nada, continuamos neste registo gostoso: dou-vos a minha indiferença, vocês a dor que isso provoca.

 

S: Dentro do estojo da tua vida há um lápis para escrever o teu futuro, uma borracha para apagar o passado, uma régua para medir as alegrias, um compasso para desenhar o teu mundo e uma caneta para escrever em ti um nome difícil de apagar. Qual destes objetos usas? Porquê?

F: O estojo. Porque nunca se sabe quando vou precisar dele para cumprimentar um biker.

 

S: Obrigado Filipa, foi um gosto enorme conversar contigo.

F: O prazer foi inteiramente meu. Nem imaginas o quanto."

 

 

E pronto, cheguei a emocionar, a minha primeira entrevista sapiana! Vão lá dizer que me amam que tenho cá para mim que vou ser cilindrada e desta vez nem sequer estou a chamar gorda a ninguém.

 

 

18
Jul16

Saudades minhas????? De zero a dois??????

Filipa

 

Olá, bffs.
Sei que andei desapraçida mas olhem preçisava mesmo de descansar, recuperar baterias e acalmar uma vida de putaria que nem é bom! Agora estou muito mais cazeira, afinal todos envelhe-se-mos, certo? Sim!!!!!!!!!! Mudei imenso!!!!!!!!! Para começar, uso muintos pontos de exclamação porque acho que este ar de pasmada de merda me dá um ar super cool e super rebelde!!!!! Não gostam tanto??????? Depois, eu e o Puko Nino acabámos, finitti!!!!! Começou com horas muito extras lá no ofisse e vim a descobrir, por portas e janelas, que os sítios que eu e ele frequentáva-mos -penções baratas, cantos escuros e assim- eram frequentados unitermalmente: eu ficava em casa e ele frequentavaos com a quelega!!! Afastei-me e aproveitei para me pôr a par e passo de blogues que não gosto lá muito só porque ser do contra tamém é outra coiza tão badaç que chego a respingnar sosinha sobre eles!! Perguntome, respondome e sou feliz assim. Não fámal que ninguém me dê fleedbak. Eu basto-me. Por isso, se andão carentes de atenção como eu, umas -esperem que aprendi esta nova ontem na aula de inglês aplicado ao meio environemmment, tenho que ir com calma- caution whooores -acho que se escreve assim, mas se for preciso depois corrigo- e não gostão de chocolate, arrecomendo. Como estava a arresumir antes da minha imaginação desemcabrestada me inrromper, acabaram-se os jantares, os almoços, as saídas, poupei muinto dinheiro, emagreci super e o bolo em cima da cereja: quanto menos estava á espera dou de caras com um deus romano no mercado da ribeira, foi tão romântico, ele a ajeitar os tomates no caixote, eu a ver se estavam maduros, olhos nos olhos, mãos nas mãos, mãos no tomate, tomate na mão!!!!! Ele pergunta se estou a gostar, eu hora agarro num, hora agarro noutro, fico in decisiva, pego em dois, digo que sim!!! Siiiiiiiimmmmm!!!! Mais!!!!!! SSSSSSSSIIIIIIIIIMMMMMMMMMMM!!!!

Vim de lá com 50 kg de tomates e estou á um mês a fazer doce para ofreser no natal.

*suspiro*

Este é só o gomo I, depois conto mais porque eu tenho a sertesa que toda a gente tem muito intre-çe por histórias de merda, ai que menganei, histórias de amor.

 

kis, kis.

 

14
Jul16

De como alguém que gostava de ser plagiado transforma isto numa novela gira

Filipa

Chega alguém verdadeiramente iluminado -desta plataforma, claro- e alvitra a possibilidade dos bloggers vitimas do referido plágio, serem na realidade os plagiadores.

 

Captura de ecrã 2016-07-14, às 15.20.15.png

 

Ora, os meus posts, os plagiados, que ontem aqui printei não tinham hora e porquê?, simples: porque a hora está no final dos mesmos e pensei que ao fotografar o post inteiro iria deixá-lo imenso.

Isto para as pessoas cujos neurónios não estão desavindos, claro, pois para as outras, dá nisto:

 

Captura de ecrã 2016-07-14, às 15.42.16.png

 

Não, não sei porque carga de água a senhora sentiu necessidade em puxar o meu nome à baila, sendo que estava aqui tão sossegadinha à espera que a senhora do Facebook tivesse um laivo ou assim de bom senso e apagasse aquela merda. Mas já que o fez, e admiradora confessa que sou do blog em questão, lá fui eu dizer de minha justiça:

 

Captura de ecrã 2016-07-14, às 15.45.53.png

 

 

Magoada com o facto de a autora do blog não ser minha fã, porém esperançosa devido ao "cara Filipa":

 

Captura de ecrã 2016-07-14, às 15.48.28.png

 

Respondeste tu? Pois.

Mete a marcha atrás e puxa das dicas de merda do costume: ai a critica, ai o insulto, ai o caralho, a imaginação desta gente é gritante:

 

Captura de ecrã 2016-07-14, às 15.49.38.png

 

 

E não publicou o meu último comentário. Sucede que conheço isto de ginjeira e o que mandei que a deixou a modos que coiso, foi:

 

Captura de ecrã 2016-07-14, às 15.54.10.png

 

E pronto, com a dúvida que a blogger plantou, super válida e sem resposta para a sua própria atitude, tenho a certeza que imensa gente ficou a pensar que somos nós, os bloggers escarrapachados naquela página e da pior maneira possível, que vivemos à conta do que aquela pessoa diz, ela posta e o pessoal divide à vez e entre todos -isto carece de uma organização que não estão bem a ver-. O facto de existirem postagens feitos em dias posteriores aos nossos posts, é mero acaso, que em nada esmorece a teoria desta blogger, no big deal, é só um pequeno quê, nós é que lhe roubámos os sonhos, os pensares, as cousas caras e calhando até o cabrão do botox.

Eu cá continuo mesmo a achar que esta blogger não devia mesmo ter dado a cadela para adopção. É que podia sempre ir passeá-la de cada vez que os seus neurónios fossem a banhos e já não escrevia merda deste calibre.

 

 

À saída olho para o chão, e vejo isto a esbracejar:
 
 

Captura de ecrã 2016-07-14, às 15.55.19.png

 

Vou ao post do plágio e não vejo lá nada deste ser.
 
Salto-lhe por cima para não sujar a sola do meu sapato e vou à minha vida.
 
 
Adenda: criatura estranha alterou a data do post. Em vez da que aqui se vê, optou por colocá-lo no primeiro dia de Janeiro. Deus continua a insistir em pôr-me destas pedras no caminho. Não sei se ele espera que eu faça um castelo com elas ou se mate as vindouras à pedrada.
Vou levantar as mãos em direcção ao céu e esperar pela resposta.
 
29
Jun16

Filipa dá uma volta ao sapo e coiso #5

Filipa

"Não sei como nos íamos desenrascar se voltássemos aos tempos das nossas avós em que o peixe tinha que ser amanhado"

 

Plenamente de acordo. Felizmente que hoje em dia e cada vez com mais frequência e em mais variedade, o peixe já sai do mar sem tripas e sem escamas senão não sei o que seria da minha vida.

Como é bom viver nesta era tão mais moderna.

 

 

Para consulta em caso de necessidade

Cenas da Carla

Anita

No sapo também os há

Coisas do existencial

Dos blogues