Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Caras leitoras não assíduas:

Outubro 14, 2015

Filipa

 

"Olá Filipa,

Desde já, desculpe o incómodo.
Confesso que não sou sua leitora assídua, mas consegui reter a ideia de que trabalha e, consequentemente, percebe de cosmética.

Lembro-me de falar dos cuidados a ter com a pele e de até mencionar produtos... Só que retive a ideia de serem produtos caros (como os da Clinique) e que não são apropriados à minha carteira.

Desculpe se a aborreço, mas se não se importasse, gostaria que me referisse produtos mais em conta (da gama Garnier, L' Óreal, etc.) para tratar da pele do rosto, desde a sua limpeza ao seu hidratante."

 

Primeiramente, devo um pedido de desculpa a esta leitora não assídua: não retive o seu nome. Sei que vai compreender, afinal também reteve pouca coisa a meu respeito, senão não estávamos aqui neste simpático tête-à-tête.

Depois, porque é que optei por responder a este email por aqui e não pela mesma via, como faço sempre? Simples, porque esta quase leitora, se retivesse um bocadinho mais, saberia que não aconselho o que não conheço, nunca usei Garnier, L´oreal já lá vai o tempo, era uma teen, qualquer coisa servia, não tenho conhecimento nenhum de cremes de supermercados nem dos da farmácia, não vou aconselhar só porque sim ou só porque fica bem. Já disse isto tantas vezes aqui que ainda me espanta receber este género de emails. Reproduzo-o e respondo-lhe aqui para que, caso outras leitoras quase assíduas precisem de informação similar, fiquem a saber que não vou poder ajudar porque simplesmente não sei.

Sobre a Clinique, mais uma vez, a grande querida reteve pouco: nunca aqui a mencionei de forma positiva, muito pelo contrário. No entanto num ponto estamos de acordo: é excessivamente cara para a qualidade que não tem.

Não passo de uma gaiata que gasta uns trocos naquilo que lhe dá prazer e fala disso quando lhe apetece, não percam isto de vista. Obviamente que respondo a toda a gente, quando posso, e sempre de forma cordial e solícita. Agora, clientela de passagem que não só não conhece a loja como ainda a confunde?

Não, obrigada.

 

Coisas de mulheres, não liguem #6

Setembro 17, 2015

Filipa

Ai o shampoo seco, ai que elas quase que nem dormiam. Calma, cá está ele. 

O meu próprio méne lesionou-se. Teve um acidente gravíssimo de mota em que, com ela parada e ao tirar o capacete se baldou dela abaixo. E claro que vocês têm a ideia do que é um homem com um braço imobilizado, não têm? Sabem o que isso representa na vida de uma mulher bi-trabalhadora e com um défice de paciência bastante acentuado? Representa o caos, representa a mariquice masculina no seu expoente máximo, na já extrapolada tabela viril, representa o corredor da morte sendo que o número um na escala do sofrimento másculo representa um corte ao barbear, e uma nódoa negra representa um vinte. Eu não tenho sossego, nem a dormir. Que não consegue, não aguenta. Não tem posição para dormir, logo eu também não posso ter, acorda todas as noites impreterivelmente às 04:32 para tomar paracetamol, porque tem mesmo de ser de oito em oito horas, nem um minuto a mais, precisa sempre de alguma coisa, ou que lhe chegue um copo de água, ou que lhe coce as costas, ou que lhe ponha gel no cabelo, ou que lhe aperte as calças, ou que lhe corte o bife, ou que lhe sopre a sopa, ou que lhe ate os ténis, ou que lhe leia o jornal, ou que lhe vá buscar o comando, a água, o sumo, o leite, ele tem o outro braço, por Deus!! Era isto que ia à caça e trazia peças inteiras de animais que desossava para alimentar as suas famílias? Só me consigo chegar ao computador quando adormece, coisa que tem de acontecer rapidamente porque passado algum tempo de estar na mesma posição, parece que fica dormente e depois tenho de o ajudar a virar e ir buscar mais uma almofada que nunca é suficientemente fofa nem nunca está numa posição suficientemente confortável e ...

E agora a melhor parte: este paraíso estender-se-á por mais três semanas. Recuso-me a pensar na fisioterapia, isso é que vai ser um festival de paneleirices.

Bom, mas isto para vos explicar os atrasos nos cumprimentos minhas promessas.

Falei-vos no shampoo seco e nunca mais ninguém vos calou. E com razão, cá está o my precious:

batiste--champu-en-seco-para-cabellos-oscuros-200m

 

Antes de mais, a menina não é porca. Não é como umas e outras que se apresentam de mamas gordalhufas orgulhosamente de fora, assim à taberneira estão a ver o género?, unhas porcas e dentes por lavar. Não! Lavo o cabelo dia sim, dia não. Sucede que no dia não, a raíz já não tem aquele volume que tanto gosto e que mais parece que à saída de casa uma vaca qualquer me lambeu as raízes da juba. Então, agarro neste menino, dou-lhe duas ou três borrifadelas certeiras e pronto, cabelo perfeito. Na verdade, uso-o mais para dar volume na raíz do que para outra coisa.
Reparem que este tem um pouco de cor que calha a ser a do meu cabelo. Há um tom mais claro e um mais escuro. Estes, os que têm cor, não deixam resíduos brancos. Existem outras versões que deixam mas nada que uma boa escovadela não resolva.
Este fofinho não se vende em Portugal, costumo comprar aqui - fica aqui um outro site, recomendação de uma leitora, para que possam comparar e escolher, uma vez que também é fiável- e ao preço da uva mijona, que eu não vos indico só coisas caras. Os portes são gratuitos acima dos 20 euros e mandam sempre umas ofertas amorosas. Recomendo mesmo o site, rápidos e eficientes, nunca tive problema nenhum. Na última encomenda, entre outras coisas, ofereceram-me uns chás de camomila, imaginem como veio mesmo a calhar, com as merdas que uma pessoa tem de ler nesta blogoesfera da vida, só lá vai mesmo com muita camomila no bucho.

E pronto, está desvendado o segredo do shampoo seco. Agora tenho de ir. Tenho aqui um marmanjão a choramingar por não sei o quê que já nem o vejo bem, pá. Ainda havemos de aparecer no programa do Goucha, na crónica criminal. Ele num saco preto e eu, em directo, a pedir que me levem SG filtro ao Linhó.

 

 

Coisas de mulheres, não liguem #4

Setembro 07, 2015

Filipa

No último "coisas de mulheres, não liguem" falei-vos da acção do açúcar na formação da ruga.

Chega de pensarmos que tem a ver só com a genética, essa grande puta, ou só com o sol, ou só com a idade, há que romper com estas quase-quimeras, terra chama mulheres, já que os homens andam preocupadíssimos com o benfica, não querem cá saber destas merdas.

Precisei de uns dias para me recompor e inclusive pensar no meu futuro. Pensar que raio vão estes gajos inventar mais para dar cabo da vida e dos pequenos prazeres de uma gaja, fazer figas para que não se lembrem do sexo nem das compras. Ainda estou em convalescença mas consegui ir buscar força ao fundo do meu ser para vos destruir, também a vós, as pequenas alegrias que obtêm quando se lambuzam com as dezenas de chocolates, gomas e afins que juram precisar em certas alturas do mês: basicamente todas. Vide como sou altruísta, não me merecem.

Apresento-vos a Glicação, que é a combinação da molécula do açúcar com a proteína. Confuso? Eu sei que sim, isto percebia-se tão melhor com um magnum amêndoas na mão. Esta ligação a nível molecular ocorre sempre que existe a presença destes dois macro nutrientes e temperatura, percebam que a do nosso corpo ronda os 37ºC...

Quando a coisa se descontrola (o açúcar está em tooooodo o lado, e não só nas coisas mesmo, mesmo boas, portanto não há como evitá-lo na sua totalidade) existe uma "caramelização", por assim dizer, da molécula e quando este processo ocorre nas de colagénio, estas partem, a pele retrai-se e voilá, a ruga.

Alzheimer, Parkinson, doenças cardiovasculares e cataratas são outras das consequências, obviamente incomparáveis, da Glicação das respectivas proteínas.

E pronto, a explicação sumária está dada, a alargada é demasiado complexa para um só post e maçuda para este blog. Larguem o açúcar e os hidratos de carbono e dediquem-se mas é à carninha, ao peixinho, à saladinha, à fruta, ao running e ao btt.

Pronto, esqueçam o btt, de momento não tenho muito tempo para vos atropelar a todos.

Ridículo não é quem nunca provou comida do take away do Pingo Doce e diz que é um nojo. Ridículo é quem eleva a constatação de um facto, a uma perseguição

Janeiro 27, 2015

Filipa

Hoje fui ao Pingo Doce, à secção do take away, para ser mais precisa, ia cheia de boa vontade, com alguma fome, e disposta a reconhecer a qualidade do repasto, caso fosse o caso.
Infelizmente não consegui, este blog não me merece tamanho sacrifício.
E esqueçam lá a beca beca do "ah e tal, depende do sítio e o camandro", pá, não. A empresa diz que: "Porque conhecemos tudo aquilo que temos nas nossas lojas. Conhecemos as origens, os produtores, os processos, as qualidades e as questões nutricionais. Mais do que um supermercado, somos especialistas em alimentação. E nisto, não abdicamos de ser os melhores.". Não especifica, logo é política geral.

Comecei nas ervilhas com aquilo que me parecem ser ovos estrelados:

reparem nos pratos que rodeiam este
e depois passei para a dobrada:

esta foto está especialmente artística 

Resumindo, não chamaria a isto perseguição. Chamo, antes, de comida para porcos. E da nojenta.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D