Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Dúvidas Cor de Rosa

Um blog extremamente fofinho e quase sempre zen.

Vamos lá ver se o pessoal se entende

Março 11, 2016

Filipa

 

Este comentário foi feito neste post do blog da Picante a propósito desse tema tão fracturante, a publicidade:

 

"Filipa, não leve a mal o que vou dizer, mas a verdade é que a Filipa também fala de muitos produtos no seu blogue que, para mais sendo da sua área, podem deixar no leitor a desconfiança de que são publicidade/ofertas, etc.
Pessoalmente não me parece ser o caso (e se for não tenho nada a ver com isso), mas os mesmos argumentos que as outras invocam ("só falo porque usei e gostei e não recebi nada por isso") e nos quais nós, leitores, já não acreditamos, podem eventualmente aplicar-se a si.
Insisto, não me parece ser o seu caso."

já com a respectiva correcção

 

Respondi lá, claro, raramente deixo alguém sem resposta e não era desta vez que o ia fazer: reparem na educação deste meu leitor (posso considerá-lo meu, sabe a minha área, que falo de produtos, maneiras que posso considerá-lo da casa).

E fiquei preocupada.

Primeiro porque pensei ser do conhecimento geral que se há coisa que me esmorece a fé na puta da humanidade, são as bloggers armadas ao pingarelho com a repulsa que sentem pela palavra publicidade.

PUBLICIDADE.

Não custa nada, não é nenhum bicho papão, nem é das palavras mais difíceis de dizer, não obstante, deviam treiná-la ao espelho, como treinam as putas das barbáries que dizem post atrás de post sem que as merdas das marcas que representam ponham travão a tanto despropósito.

Não me entra na cabeça, é que nem à martelada, a relutância das princesas do Sabá em assinalar, como é de lei, um post publicitário. Deve ser algum problema que tenho nos genes, estes cabrões defeituosos que me empurram a coerência a deduzir que se determinada blogger o faz, então se calhar é porque é uma tipa em quem posso confiar, ao invés de uma que tenta, por todos os meios, inclusive apagar ou não publicar comentários que questionam a origem de determinado post, camuflar a essência daquele pedaço de merda mal cagado que acabou de escrever.

 

Nunca fiz nem vou fazer -porque não está nos meus planos- qualquer parceria e/ou publicidade.

 

E digo-o com toda a honestidade que me caracteriza, quer enquanto Filipa Brás do Dúvidas quer enquanto a Filipa da vida real.
Tal como o anónimo refere, é legítimo que o leitor o possa pensar, uma vez que agora o que está em voga é o leitor ter de provar que determinado post é publicitário em vez de ser a autora do mesmo a informá-lo.

Sucede que se alguma marca me oferecesse alguma coisa por forma a que eu falasse nela aqui, em primeiro lugar, teria de ser algo em grande. Não que eu seja melhor do que as outras, mas porque tenho acesso ao que quero, maneiras que nisto da cosmética já pouca coisa me deslumbra e me surpreende. Depois porque fazia questão de fazer um exaustivo trabalho de pesquisa: a postura da empresa, a história desta, a sua credibilidade, a qualidade do produto, teria de poder dar a minha opinião sincera, boa ou má, escrever o post à minha maneira e eles, olhem, tinham de mamar a bucha e sorrir, enfim, todo um trabalho que não ia justificar a meia dúzia de tostões ou o potezinho de creme que eu iria receber. 

Para terem uma ideia, ia ser infelicíssima se vivesse do blog: passei um Domingo inteiro a fazer o meu vídeo do concurso e nem dormi com enxaquecas, esta merda não é para mim. Já para nem falar que marca nenhuma ia pegar num blog que se propõe a concursos do género e que volta na volta lança com cada caralhada capaz de envergonhar o trolha mais javardanas. E o melhor de tudo é que não me importo, o meu blog é para me rir, para gozar com gente parva, se tiver três ou quatro posts sérios em sete anos de blogoesfera é muito, caguei nas parcerias, na publicidade e nas marcas que cada vez jogam mais rasteirinho.

Para rematar, nunca sugiro nada -seja por aqui ou por email- que não tenha usado. Ou seja, só recomendo produtos para peles normais e mistas -o meu tipo de pele- e numa excepção ou outra, para pele seca/madura que é quando mamãe usa e me dá feedback. Acontece que esta não é muito dada à poda e um creme dá-lhe para um ano. Ninguém nunca aqui me viu a falar de nada que não o tivesse feito com propriedade e se calhar o facto de toda a gente estar contente com tudo o que tenho sugerido -notem que acontece MUITAS vezes fazê-lo personalizadamente, apenas com indicações dadas pelas leitoras e por email- deve querer dizer alguma coisa.

 

Para rematar mais um bocadinho, até há bem pouco tempo falava aqui de uma maquineta de rosto que isto e aquilo. O meu gajo trouxe-me uma numa viagem que fez, ainda ela não existia em portugal. No início gostei tanto dela que falei aqui e várias leitoras a compram. Acontece que a bicha é exclusiva de uma rede de perfumarias que...como é que hei-de dizer isto de uma maneira simpática?...não há maneira simpática para adjectivar uma empresa que trata os seus funcionários como penicos, ou seja, sou pessoa para ir gastar os meus euros em todas as perfumarias do meu país menos nas douglas. A partir dessa altura, não mais falei -nem vou falar- da tal da máquina.

 

Descansem, pessoas, Filipa não publicita. Filipa leva o esponso à falência e depois vem grisar-se para o blog.

 

41 comentários

Comentar post

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2015
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2014
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2013
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  1. 2012
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D