Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Não trago boas notícias

por Filipa, em 22.09.14
O meu dente do siso, esta coisa absolutamente inútil que até faz lembrar certos anónimos; não servem particularmente para nada, a não ser para incomodar e dar algum trabalho, como estava a dizer, vai ter que ser arrancado. Tanta palavra menos dorida que se podia utilizar para descrever o processo, assim de repente lembro-me de subtrair, remover, retirar, eu sei lá, a dor já não me deixa pensar, mas não, é logo "arrancar", só a palavra dói, eu não aguento. Foram alguns anos de apática convivência. Ele ali a fazer nada, e eu aqui a dar-lhe a melhor atenção do mundo, com a melhores pastas dentífricas, os fios dentais mais mentolados, os elixires mais bombásticos, mas mesmo assim não chegou, este menino vai à vida que na minha boca, sã e luzidia, não há espaço para dentes que se fazem valer pela dor, pelo desconforto e pela ingratidão. Só eu é Deus é que sabemos a ginástica que eu tinha de fazer para chegar com a artilharia da limpeza àqueles estafermos do fundo, que até parece que se escondem só para dificultar o processo, os grandes cabrões. Eu, Deus e o meu gajo, que não achava normal a minha obsessão por estes dentes em particular. Três dias de um sofrimento sem igual chegaram, para lhe pôr fim aos dias de glória. Eu, que sou uma maricas de primeira, estou apavorada, em pânico sobretudo com as histórias que ouço, de anestesias gerais, de dor profunda e contínua, nem durmo, vocês sabem lá, está bem que as dores não deixam, mas não durmo e isso é o que interessa. Foi mais ou menos como quando o meu puto estava prestes a nascer; às tantas não sabia se ia dar à luz se ia para uma mesa de tortura medieval. As pessoas contavam-me histórias de absoluto terror e eu, que não sabia para o que ia, só desejava que me fizessem um funeral bonito, cheio de margaridas, pessoas bem vestidas e rock do bom. O sentimento de agora com a história do dente, é o mesmo de então.
Digam-me, também há finais felizes, nisto, de arrancar dentes do siso, pois há?

Autoria e outros dados (tags, etc)

cenas :

Sinto um carinho especial

por Filipa, em 22.09.14
pelas lojas que não colocam os preços nos produtos que expõem nas montras, com o claro intuito de obrigar o cliente a entrar. No meu caso, funciona imenso, uma vez que, em tendo tempo extra, obriga-me a pedir aos funcionários para desarrumarem tudo e a não comprar nada. 

Autoria e outros dados (tags, etc)





Header gentil e adoravelmente cedido pela

Gaffe