Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




imaginemos que na saída, os veículos batem.
A questão é: quem é o culpado?




Autoria e outros dados (tags, etc)

cenas :


73 comentários

Sem imagem de perfil

De Silent Man a 26.11.2014 às 09:07

Assim de repente... Tu! Lamento, mas a rotunda já não é para ser feita por fora...
Sem imagem de perfil

De Isabel B. a 26.11.2014 às 09:36

As regra mudaram... Se sais na segunda saida tens de ir por dentro...
Sem imagem de perfil

De Filipa Brás a 26.11.2014 às 09:37

Ah, entendi..

E estas novas leis, permitem que se saia da rotunda, sem que seja necessário mudar para a faixa mais à direita, ou seja, permite-nos atravessar as faixas de rodagens todas?
Isto está tudo muito à frente!
Sem imagem de perfil

De Silent Man a 26.11.2014 às 09:47

Não, as novas regras obviamente que não permitem isso. Mas se tu estás a ocupar a faixa para onde a pessoa tem que sair, óbviamente que a pessoa não tem hipótese. A partir deste momento, a responsabilidade por um eventual choque é tua, porque a faixa da direita é para ocupar apenas quando fores sair da rotunda. Olhando para o croqui que desenhaste e apenas tendo em conta o desenho, tu entraste mal na rotunda pois deverias ter ocupado a faixa da esquerda (como o outro carro fez) e deverias, a seguir à primeira saída, ter ido para a faixa mais à direita para sair na rotunda na segunda saída. Aí, se o tipo se armasse em chico-esperto e te tentasse "comer" pela esquerda e batessem, a culpa seria inteiramente dele, porque o teu comportamento na rotunda foi o descrito nas regras.
Sem imagem de perfil

De Filipa Brás a 26.11.2014 às 10:15

Se ele sai na segunda saída, imediatamente depois da primeira, tem de passar para a faixa da direita. Portanto, eu estou bem posicionada para sair, porém ele, que até entrou na rotunda antes de mim, mantém-se na mesma faixa. Não considero, por isso, que seja a única mal posicionada, até porque quem muda de faixa, não tem prioridade. Caso tivesse acontecido, este acidente, quem provava que eu tinha entrado mal? Quem provava que ele também não tinha entrado mal, ao não ceder a passagem a um ciclista que entretanto tinha ido à sua vidinha? A questão é a saída, não a entrada.
Sem imagem de perfil

De Silent Man a 26.11.2014 às 10:23

Não percebi isso pelo croqui porque lá não indica a ordem pelo qual as pessoas entram na rotunda. Ainda assim e em resposta à tua questão... Para isso serve aquele campozinho na parte de trás da declaração amigável em que se descreve o acidente de forma (mais ou menos) sucinta. No entanto e mesmo assim, acho pouco provável que tenhas razão. Pode ser que com tudo bem explicadinho consigas safar-te, mas acho difícil.
Boa sorte Filipa
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 26.11.2014 às 10:30

Isto das rotundas é uma merda. Porque a culpa é efectivamente delas. Elas é que estão mal feitas. Se for numa rotunda grande a coisa ainda funciona, mas se for pequena dá sempre merda.
Neste caso, e de acordo com as novas regras, a culpa é tua porque fizeste a rotunda por fora.
Mas às vezes é muito fodido (lá está nas rotundas pequenas) ir para a faixa de dentro para sair na 2ª saída...
Sem imagem de perfil

De Zé a 26.11.2014 às 10:42

a parte tua da culpa resulta muito eventualmente em multa, caso se provasse que fizeste a rotunda toda por fora.
no acidente a culpa é dele (excepto se lhe batesses por trás, como qualquer mentecapto sabe), não pode mudar de faixa em cima da saída, sobretudo para cima de um carro.
se ele tentasse sair na primeira percebias a dimensão da merda que tinhas feito.
Sem imagem de perfil

De Filipa Brás a 26.11.2014 às 10:49

Obrigada, Zé, isto é só um "suponhamos", porque todos os dias me chateio nesta puta desta rotunda, e só nesta, coisa que acho deveras curioso.
Se ele tentasse sair na primeira, iria à minha frente, primeiro porque entra na rotunda, afectivamente, antes de mim e depois porque ninguém entra pela esquerda para sair logo na primeira.
Sem imagem de perfil

De Filipa Brás a 26.11.2014 às 10:50

E obrigada, porquê?, deve estar essa cabeçorra a pensar. Por pensares como eu, quase que me sentia uma descartada, uma vez que via o que mais ninguém alcançava.

Comentar post


Pág. 1/8






Header gentil e adoravelmente cedido pela

Gaffe