Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Por vezes os meus braços fazem mais falta ao meu patão do que a minha cabeça, vai daí que lhes arregaço as mangas e lá vou eu trabalhar com o povo, coisa dura, cada vez mais, por oposição à minha paciência, já velhinha, encarquilhada e cheia de dores. Uma cliente perguntou-me se não tinha embalagens vazias para venda, só assim, do nada, só porque sim. Eu, sem perceber muito bem que merda queria ela, pergunto-lhe, com o ar cândido mais genuíno que tenho "de quê?" E ela, "de nada, vazias de nada, claro!" 
Claro. 


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.






Header gentil e adoravelmente cedido pela

Gaffe